Adubação

Introdução

As orquídeas necessitam de alimento como qualquer outra planta.
A seguir, você vai encontrar orientações sobre adubo químico e, mais adiante vou falar sobre adubo orgânico.
Cada caso é um caso e a escolha vai depender das necessidades de sua planta.


Adubo químico


Os adubos vendidos no comércio especificam as siglas NPK (com as respectivas porcentagens) que significam N (nitrogênio), P (fósforo), K (potássio). São macro nutrientes. 
Mas existem mais 3 macro nutrientes não citados que são Mg (magnésio), Ca (cálcio) e S (enxofre). Portanto, os macro nutrientes são 6 e não 3.

Macro e Micronutrientes

Macro nutrientes são aqueles que a planta precisa em grande quantidade para crescer equilibradamente. São chamados de micro nutrientes aqueles que a planta precisa em menor proporção. A maior parte dos adubos não contém os 3 últimos macro nutrientes, mas apenas 1 ou 2 deles, porque a formulação com todos eles é quimicamente incompatível, ou seja, há uma reação química e um dos sais, que em geral é o sulfato de cálcio, não se dissolve e acaba se precipitando.
Assim, existem fabricantes idôneos de adubos que lançam no mercado o adubo básico com NPK e uma outra embalagem com o restante dos sais minerais, que complementam os anteriores, para ser aplicado alternadamente (jamais se deve misturar os dois produtos). Mas poucos conhecem a existência desse segundo produto. 
Resultado: muitas vezes suas plantas não vão bem, embora você aplique adubo, porque faltam justamente estes nutrientes. 

Adubo Líquido e Sólido

Quando o adubo for líquido, dilua um milimetro (é igual a um centímetro cúbico) em um litro d'água. Uma seringa de injeção é um medidor prático.

Quando for sólido, mas solúvel em água, dilua uma colher de chá (1 g) em um litro de água numa frequência de uma vez por semana. Essas soluções podem atuar como adubo foliar, mas nunca aplique durante o dia, pois os estômatos das folhas (minúsculas válvulas) estarão fechados. Faça-o de manhã, antes do sol nascer, ou no fim da tarde, molhando os dois lados das folhas (o número de estômatos é maior na parte de baixo das folhas).

Concentração de adubo menor do que a indicada acima ou pelo fabricante nunca é prejudicial. Se diluir o adubo citado acima (um mililitro ou uma grama) em 20 litros de água (ou mais) e com ele borrifar diariamente as plantas, você pode obter excelentes resultados. Corresponde a um tratamento homeopático. Dosagem maior que a indicada funciona como veneno e pode até matar a planta. 

Se o adubo for sólido, insolúvel na água, deve ser polvilhado diretamente no vaso, numa média de uma a duas colheres de chá, dependendo do tamanho do vaso, uma vez por mês. É preciso cuidado para não jogar diretamente sobre as raízes expostas. 
Pode acontecer de você adubas as plantas e as folhas começarem a amarelar ou aparecerem manchas, pintas ou estrias. Isto significa doença pelo ataque de fungos e bactérias e você estará alimentando hóspedes indesejáveis. Nesse caso, o primeiro passo é suspender a adubação e combater a praga com fungicida e/ou bactericida, usando o dobro da dosagem indicada pelo fabricante e repetir por mais algumas vezes a cada 3 ou 4 dias, dependendo da gravidade da infestação.

Necessidades diferentes

Quando a planta está fixada em tronco ou casca, não recebe nenhum nutriente, por isso, é necessário alimentá-la com adubo solúvel em água, com maior frequência em dias quentes (duas a três vezes por dia). Nesse caso, com concentração bem pequena de adubo.

Se você observar com cuidado as orquídeas plantadas em vaso, vai perceber que umas estão úmidas e outras, ressecadas. Os vasos ressecados devem ser imersos em água por alguns minutos até você perceber que houve completa absorção de água. Faça o mesmo com as recém plantadas em palitos de xaxim ou cascas de madeira. Isto é particularmente importante, juntamente com adubação abundante, em plantas que estão emitindo brotos e que logo estarão soltando raízes, pois do seu desenvolvimento pleno, vai depender a floração em todo o seu potencial. Mas nunca use a água de uma planta para a outra, para evitar contaminação.

Logo mais falarei um pouco sobre pragas e doenças !
Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *